in

O crescimento do futebol feminino e os maiores públicos dos últimos anos

Fonte: Unsplash

O futebol feminino ganha cada vez mais espaço no mercado, e a maior evidência disso são os grandes públicos nos estádios. Isso tem acontecido principalmente na Europa, onde os torcedores parecem ter abraçado a modalidade. É por lá que estão os maiores públicos de todos os tempos, e alguns deles em jogos nem tão importantes. Enquanto isso, aqui no Brasil, são poucas as equipes que conseguem lotar os estádios, mas existe um avanço evidente que cria uma boa projeção para o futuro.

No final do ano passado, o Campeonato Brasileiro feminino foi decidido entre Corinthians e Internacional. As duas equipes estão entre as melhores do país, e isso chamou a atenção dos torcedores. Na primeira partida, disputada no Beira-Rio, em Porto Alegre, foram pouco mais de 36 mil pessoas acompanhando a decisão. O segundo jogo foi ainda melhor, com 41.070 torcedores lotando a Neo Química Arena e quebrando o recorde de maior público do futebol feminino no Brasil e na América do Sul.

São números altos, mas que não conseguem acompanhar o sucesso que tem acontecido na Europa. Por exemplo, em março deste ano, a partida entre Inglaterra e Brasil, pela Finalíssima, entrou para a história como o quinto maior público feminino da história. A equipe da Betway, site de esportes bets, conta em artigo que foram mais de 83 mil pessoas no Wembley para assistir o confronto entre o campeão da Eurocopa e o campeão da Copa América.

Os três maiores públicos

Na lista de maiores públicos de futebol feminino, o futebol europeu domina quase por completo. Os três maiores, por exemplo, contam com duas partidas do Barcelona e uma final de Copa do Mundo.

 

Estados Unidos x China – 1999

 

Com 90.185 pessoas no estádio, a final da Copa do Mundo entre Estados Unidos e China entrou para a história como o maior público para uma partida entre duas seleções. Um jogo que foi emocionante até o final, e mostrou que o futebol feminino tinha potencial para levar um grande público aos estádios.

 

Barcelona x Real Madrid – 2022

 

O segundo maior público da história é neste clássico espanhol. Com um público oficial de 91.553, o Camp Nou se transformou no estádio que simboliza a paixão dos europeus pelo futebol feminino. No artigo do blog Betway Insider, esse sucesso de público é a evidência de como o crescimento do futebol feminino tem se acelerado nos últimos quatro anos.

 

Barcelona x Wolfsburg – 2022

A primeira posição também é do Barcelona, e novamente no Camp Nou. Algumas semanas após quebrar o recorde diante do Real Madrid, o estádio novamente fez história ao colocar 91.648 torcedores para assistir ao confronto da Liga dos Campeões da Europa. Ou seja, é inegável que 2022 foi o ano mais intenso do futebol feminino na Europa. Uma boa notícia para uma modalidade com grande potencial.

Potencial em 2023

Neste ano, o futebol feminino deve ganhar protagonismo novamente com a Copa do Mundo, que será disputada na Austrália e na Nova Zelândia, entre os meses de julho e agosto. A disputa promete reunir um grande público, então, a expectativa é por bons números nos jogos. Além disso, alguns especialistas devem ficar de olho na audiência, que também é importante para medir o sucesso dos jogos.

Enquanto isso, nos gramados, as jogadoras pensam apenas no título. Nos sites de palpites de futebol, os Estados Unidos surgem como principais favoritos no Mundial, mas a Inglaterra e a Alemanha esperam causar alguma surpresa. O Brasil surge como potencial azarão, mas será preciso melhorar em campo para conseguir um resultado positivo no torneio.

A final está marcada para o dia 20 de agosto, sendo um dia importante para mostrar como o futebol feminino vai crescer em diferentes países. O mundo deve ficar de olho para mostrar que as mulheres estão finalmente ganhando um reconhecimento merecido em campo. Algo que demorou a acontecer.

O crescimento do futebol feminino é evidente, mas ainda concentrado na Europa. Assim, o próximo passo é ver isso acontecendo em outros lugares, seja na Austrália ou na Nova Zelândia, sedes do Mundial, ou até mesmo aqui no Brasil. O mais importante é ter as mulheres ganhando protagonismo.

Seleções Imortais – Dinamarca 1992-1995

Maiores Viradas da Copa do Brasil