in

Partida do Século: lição de futebol para os ancestrais do jogo

No início da década de 1950, os britânicos ainda se consideravam a nação mais forte no futebol. Essas ilusões não foram dissipadas nem mesmo por duas dolorosas derrotas para Espanha e Estados Unidos na Copa do Mundo de 1950 – afinal, naquela época, a televisão não transmitia partidas e, em artigos de jornal, jornalistas ingleses contavam aos compatriotas sobre arbitragens injustas e infortúnios fatais. Hoje, a empresa global de apostas 1xBet relembra um dos jogos mais importantes na história do futebol, quando a Inglaterra foi derrotada pela primeira vez em Wembley.

 

“Mundo dos fantasmas vermelhos piscantes”

Até 25 de novembro de 1953, data do amistoso entre Inglaterra e Hungria, em Wembley, os britânicos não haviam perdido em casa por 30 anos e nem mesmo consideravam necessário se interessar pelo progresso técnico e treinamento do futebol na Europa. Claro, a seleção nacional húngara, que venceu as Olimpíadas e tinha uma impressionante série de vitórias, era bem conhecida até mesmo na terra natal do futebol, mas os tabloides locais não davam a mínima chance aos Magiares.

Mas, após a derrota por 6 a 3 para o timaço de Puskás, o golpe foi devastador. Na manhã após o desastre, o The Times escreveu: “A Inglaterra acordou como uma estranha em um mundo estranho, um mundo de fantasmas vermelhos piscantes. Foi exatamente assim que os húngaros pareciam em seus uniformes vermelhos brilhantes durante seus ataques rápidos e técnicos com chutes poderosos.”

 

Socialista e grande inovador do futebol

 

 

Naquela época, os jogos amistosos não eram muito inferiores em status à Copa do Mundo e às Olimpíadas – o interesse dos fãs era incrivelmente alto. O jogo com a Hungria reuniu 105 mil fãs no estádio e estava claro para todos que um evento histórico os aguardava.

Os húngaros também foram impulsionados por essa atmosfera. “Se vencermos em Wembley, nossos nomes se tornarão lendários”, disse Gusztáv Sebes, técnico magiar, aos seus jogadores antes da partida. Um socialista fervoroso e proeminente líder do partido na Hungria, ele entrou para a história não como uma figura política, mas graças às suas ideias inovadoras sobre futebol, que foram adotadas pelo mundo. Ele liderou a seleção nacional húngara em 1948 e logo garantiu que o núcleo da equipe fosse composto apenas por jogadores de dois clubes – Kispest, posteriormente renomeado Honvéd, e MTK.

Sebes professava um futebol de ataque agudo e chamava seu conceito de “futebol socialista”, onde todos os jogadores são iguais e cada um é capaz de desempenhar diferentes funções em campo. O treinador converteu a formação 2-3-5 conhecida como WM em uma formação 3-2-1-4, ou 4-2-4, com o centroavante recuado, dando boas-vindas aos defensores no ataque e até permitindo que o goleiro jogasse no estilo dos defensores centrais. Esse estilo tornou-se o protótipo do “futebol total”, que os holandeses adotariam quase 20 anos depois.

 

“Não ria de Puskás”

 

Os húngaros se aquecendo: enquanto o adversário apenas olhava, os magiares já ficavam no jeito para marcar gols logo nos primeiros 20 minutos de jogo.

 

O que os britânicos fizeram enquanto novos gênios do futebol e jogadores proeminentes cresciam na Europa? Eles apreciaram sua grandeza e não quiseram saber de alguns novatos continentais. Pouco antes do início da partida, um dos ingleses apontou o dedo para um jogador adversário e disse rindo: “Olhe para aquele gordinho ali!”

Esse “gordinho” acabou sendo Ferenc Puskás, um dos maiores jogadores de futebol da história. E apenas 57 segundos após o início do jogo, o humor inglês e seus parceiros não tiveram tempo para rir – Nandor Hidegkuti irrompeu na área e colocou a bola no canto superior distante. Na seleção nacional, ele atuava como um atacante recuado, o que levou os britânicos, acostumados às formações clássicas, a uma completa confusão.

Aos 28 minutos, os húngaros estavam vencendo por 4 a 1. Hidegkuti marcou novamente, e Puskás fez seu segundo gol. O segundo gol foi especialmente espetacular, quando o “gordinho” colocou a bola sob si mesmo com a sola, observou o capitão inglês Billy Wright voando em um carrinho sem sentido e chutou para o canto próximo.

 

Derrota e uma vantagem sete vezes maior em chutes

 

O capitão Billy Wright (à esq.) troca de flâmula com Ferenc Puskás, da Hungria, em 1953: derrota marcante para os ingleses.

 

O Golden Team, que recebeu o apelido por sua vitória nas Olimpíadas de 1952, jogou com seu oponente como um gato e um rato. Sandor Kocsis e outros jogadores da equipe húngara poderiam marcar mais de uma vez. O “futebol socialista”, dominado pelos pontas Zoltan Czibor e László Budai nas alas ofensivas, mostrou-se um problema insuperável para os Três Leões.

Durante a partida, os húngaros chutaram ao gol adversário 35 vezes, enquanto os britânicos responderam apenas 5 vezes. No segundo tempo, Josef Bozsik conseguiu marcar, e no minuto 53, Hidegkuti se encontrou no lugar certo na área penal inglesa e marcou um hat-trick. Jackie Sewell e Stan Mortensen marcaram para os ingleses no primeiro tempo e Alf Ramsey no segundo, mas o placar final foi 6 a 3 a favor dos húngaros.

 

Reavaliação de valores e declínio da equipe

Após a partida, os britânicos ficaram muito envergonhados. E não é apenas sobre a derrota humilhante e a atitude arrogante em relação ao oponente. Os fundadores do jogo mostraram-se anfitriões pouco hospitaleiros. Aos húngaros foram prometidos treinamento em Wembley a qualquer momento conveniente, mas não foram autorizados a entrar no estádio até o jogo, alegando que os visitantes estragariam o precioso gramado. Ao contrário dos dirigentes do futebol inglês dos anos 1950, a 1xBet nunca engana seus jogadores e se preocupa com sua reputação. Por isso, 1xbet é confiável.

O Jogo do Século forçou os britânicos a repensar muitas coisas e a mudar completamente sua mentalidade em relação ao futebol. Após isso, a Inglaterra começou a abandonar gradualmente esquemas desatualizados. No início dos anos 1960, a equipe nacional foi liderada por Alf Ramsey, que marcou o último gol inglês naquela partida memorável em 25 de novembro de 1953. Em 1966, ele conduziu os britânicos ao seu primeiro e único ouro na Copa do Mundo. A lição de futebol foi aprendida.

A estrela da “Golden Team” desapareceu muito antes. Ela foi para a Copa do Mundo de 1954 como a grande favorita, mas perdeu para a equipe da Alemanha Ocidental em uma final dramática com o placar de 3 a 2. A Hungria nunca se tornou campeã mundial, mas presenteou toda a humanidade com o Jogo do Século.

Nós frequentemente somos questionados: O que é 1xBet? Esta é uma das maiores empresas de apostas do mundo que compartilha de seus interesses e aceita apostas nas grandes disputas que o futebol nos proporciona!

 

Sobre a 1xBet.tv

Procurando por um site de notícias versátil com informações esportivas atualizadas? No portal 1xBet.tv, você encontrará informações relevantes e verificadas sobre futebol, basquete, vôlei, tênis, esportes eletrônicos, corridas, MMA e outros esportes populares no Brasil. Oferecemos estatísticas avançadas, histórico de encontros pessoais, relatórios de partidas, comentários de especialistas e outras informações úteis para previsões vencedoras. Comece o seu dia com a 1xBet.tv – o melhor portal de notícias para os fãs de esportes!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Um Comentário

  1. Parabens de novo guilherme.muito curioso isso pois tomar 6 x 3 e 7 x 1 da hungria abalou geral as estruturas do futebol ingles em geral e ai eles tiveram que abaixar a crista e se aprimorar mais e ao seu modo ate ganharam a copa de 66.aqui no brasil tambem teve 7 x 1 e o que mudou:nada o brasil continua estagnado e nossos times passando vergonha nos mundiais da vida.e o pior pra muita gente ainda somos os melhores e nao precisamos olhar do lado.

Craque Imortal – Franck Ribéry

Palmeiras x São Paulo – Choque-Rei