in ,

David Trezeguet, o artilheiro franco-argentino

 

O francês David Trezeguet foi um dos maiores artilheiros do futebol mundial por diversos motivos. Um deles é a sua campanha pela Seleção Francesa, onde o atacante jogou mais de 70 jogos e superou a marca de 30 gols marcados. Dentre as suas passagens por equipes do futebol mundial se destaca a sua presença no futebol argentino, na Juventus e no Monaco. Embora nunca tenha sido muito técnico, o francês combinava uma presença de área marcante com a capacidade de decidir em poucos toques na bola. Assim, marcou mais de 300 gols na carreira.

Presença em 3 Copas do Mundo

Henry e o amigo e companheiro Trezeguet, na goleada de 4 a 0 sobre a Arábia: se a dupla fosse titular durante toda aquela Copa, caminhada francesa teria sido bem menos dramática! Foto by Popperfoto/Getty Images.

 

Poucos sabem, mas Trezeguet, apesar de ter nascido na França, cresceu na Argentina por causa de seu pai, Jorge Trezeguet, argentino de nascimento e que jogava na França quando David nasceu. Ao retornar à Argentina com a família no final da década de 1970, Jorge foi a inspiração do filho, que passou sua juventude em Buenos Aires e começou sua trajetória futebolística na Platense, em 1994. Porém, já em 1995, David Trezeguet foi rapidamente transferido ao Monaco, em processo facilitado por ele ter cidadania francesa. 

Uma das principais características observadas no futebol de David Trezeguet era que seu trabalho de pés era ao mesmo tempo simples e técnico. Isso ficou ainda mais evidente em suas passagens pela Copa do Mundo. No total, o craque francês disputou 3 Copas do Mundo, em 1998, 2002 e 2006. Foi no ano de 1998 que Trezeguet conquistou o seu único troféu da Copa do Mundo em uma final emocionante contra o Brasil. Em Mundiais, David jogou 12 jogos e marcou 1 gol. Em termos de gols marcados pela França, o que mais merece destaque na história do craque francês foi o gol marcado contra a Itália no final da Euro de 2000. 

O jogo estava empatado em 1 a 1 e foi para a prorrogação, que na época tinha o outrora temível “Gol de Ouro”. Foi quando Trezeguet recebeu um cruzamento da esquerda e pegou de primeira, sem chances de defesa para o goleiro italiano, dando o título para a equipe francesa e levando os torcedores franceses ao delírio. Curiosamente, foi a mesma Itália um marco negativo na carreira do jogador, pois foi na decisão por pênaltis da Copa de 2006 que ele acertou a trave uma das cobranças dos franceses que acabou sendo crucial para o título dos italianos, que venceram por 5 a 3 e negaram à Trezeguet o bicampeonato mundial.

Da França para a Itália

Após o sucesso na Copa do Mundo de 1998, bem como o Gol de Ouro marcado na final da Euro 2000, David Trezeguet já era reconhecido como um craque no futebol mundial por suas grandes atuações pelo Monaco, onde fez uma parceria marcante com Henry. Isso, por sua vez, atraiu a atenção da Juventus, a qual decidiu por comprar o atacante.

Na época, a transação custou aproximadamente 23 milhões de euros aos cofres da Juve e o que não se imaginava é que Trezeguet ficaria uma década no clube italiano. Logo em sua primeira temporada, David já foi artilheiro da equipe da Juventus com 14 gols marcados no total.

Trezeguet e Ibrahimovic fizeram uma grande parceria na Juve.

 

A saída de Inzaghi em 2001 abriu margem para Trezeguet se tornar titular definitivo da equipe italiana, marcando 24 gols ao longo da temporada. Por outro lado, a partir do ano de 2002 as lesões assombraram o craque, que enfrentou diversos momentos fora das quatro linhas.

 

Retorno ao futebol argentino

Tempo depois, ao final de sua carreira, David voltou à Argentina, agora para defender o River Plate, seu clube da infância. O artilheiro foi peça importante para recolocar os Millonarios na primeira divisão, após a traumática queda à segundona. Fundamental na reta final, considerou na época o gol que garantiu o acesso como o mais importante de sua carreira, mais até do que o Gol de Ouro na Euro de 2000. Foram duas temporadas pelos Millonarios, com 16 gols em 35 jogos entre 2012 e 2013.

“São dois momentos muito importantes na minha vida. No sentimental, vinha jogando pouco na seleção naquele período e foi um alívio. Mas este agora foi mais importante. Não só por subir de divisão, mas porque também sou torcedor. Tem duplo sentido. Este supera o da Eurocopa. […] Cheguei em janeiro e sabia perfeitamente qual era o objetivo. Este era um jogo muito especial. Era praticamente a mesma data que o River foi rebaixado. Estive presente na partida e queria estar aqui quando acontecesse o contrário”.

 

Após duas temporadas pelo River, Trezeguet seguiu para o Newell’s Old Boys, onde jogou 30 partidas, mas marcou apenas 9 gols. Por fim, o craque francês encerrou sua carreira no Pune City, da Índia, com 2 gols em 9 jogos. Aos 37 anos, em 2015, Trezeguet se aposentou do futebol e deixou grandes histórias e títulos por onde passou.

Craque Imortal – Batistuta

Seleções Imortais – Brasil 1958-1962